Ana Vífer

Ana Vífer

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Só amor.

Não diga que me ama assim tão rápido, você ainda não sabe muito sobre quem eu sou. Não diga também que não tem capacidade de me amar, você conhece a parte boa de mim.
Não me olhe demais dentro dos olhos, porque me incomoda, me invade. Não deixe também de me encarar um pouco, pra eu saber que tudo é de verdade.
Não me aperte de mais, me desperte muito, me ouça falar tudo, me faça calar. Não toque em assuntos difíceis pra mim, mas me force às vezes a desabafar. Me elogie muito, mas não me canse, não me passe a impressão de que quer impressionar, não precisa.
Me leve pra chuva, me proteja dela. Me chame pra queimar no sol, me leve pra sombra, me dê banho de mar, pule comigo as ondas, eu quero isso de você.
Quero mais do que você acha que é capaz de me dar, menos do que eu sei que você pode, faça tudo na medida e passe muito do ponto.
Me ligue de mais, se desligue de mim de vez em quando. Eu quero conhecer tudo e nem tudo quero saber sobre você.
Não me peça pra cantar pra você, me implore um show particular.
Não existem regras para nós, não existe sossego, nem apego, nem agitação e nem distância. Porque em nós cabe de tudo, desde tudo até um nada bem vazio.
Sejamos assim pra sempre, até cansar de eternidade. Sejamos amor, amor, amor e amor e isso eu afirmo, amor sem nunca ódio, só amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário